Foto por: Divulgação
Amália Tieco e equipe do HB durante incursão por recursos em Brasília

HB só perde para Santa Casa da Capital em volume de recursos destinados para enfrentar Covid-19

Por: Maria Elena Covre, Fabrício Carareto, Heitor Mazzoco e Lucas Israel
25/05/2020 às 16:05
Bastidores

Critérios técnicos adotados pelo Ministério da Saúde favoreceu instituição de Rio Preto

Mostrando serviço 1
A aposta do Hospital de Base de Rio Preto numa assessoria de relações institucionais permanente em Brasília e numa campanha permanente de captação de recursos vem dando resultados concretos. Uma amostra é a divulgação da primeira portaria que autorizou a liberação de recursos para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) no enfrentamento à Covid-19, em que o HB consolidou sua liderança no Interior de São Paulo como a instituição com a maior fatia, recebendo R$ 3,2 milhões dos R$ 340 milhões liberados em nível nacional. 

Mostrando serviço 2
Isso porque o critério adotado pelo Ministério da Saúde foi técnico (leitos e produção SUS): quanto maior a rede de serviços prestados à população, maiores os gastos hospitalares e, portanto, maior o repasse. O HB ficou atrás apenas da Santa Casa de São Paulo, que recebeu R$ 5 milhões. Outras instituições paulistas com marcas fortes e campanhas permanentes de captação de recursos em nível nacional estarão recebendo uma média de R$ 400 mil.

Queda de braço com prefeitos 
Esta foi apenas a primeira leva do total de recursos. No total, são R$ 2,2 bilhões que serão repassados para santas casas e hospitais filantrópicos. A publicação, aliás, colocou ponto final à tensão vivenciada pelas instituições de saúde com os rumores de que havia movimento de prefeitos tentando desconfigurar a iniciativa, na tentativa de direcionar os novos recursos para cofres municipais. 

Entrou em cena 
O deputado federal Luiz Carlos Motta (PL) chegou a enviar um ofício ao Hospital de Base assegurando a defesa das entidades filantrópicas e do rateio por meio de critérios técnicos "em respeito à dimensão e à contribuição do HB para a Saúde Pública brasileira". 

Divisão regional
Em Rio Preto, foram beneficiados os seguintes hospitais: HB com R$ 3.203.037,63; Santa Casa com R$ 916.592,53; Bezerra de Menezes com R$ 300.010,71 e Beneficência Portuguesa com R$ 65.627,34. Na região, a Santa Casa de Votuporanga receberá R$ 433.078,33; a Santa Casa de Fernandópolis, R$ 293.987,48; a Santa Casa de Jales, R$ 281.342,86. Seguem ainda o Hospital e Maternidade de Castilho (R$ 94.834,67), a Santa Casa de Olímpia (R$ 139.090,85), a Santa Casa de Penápolis (R$ 287.665,17), a Santa Casa de Santa Fé do Sul (R$ 230.764,37) e a Fundação Padre Albino de Catanduva, mantenedora de dois hospitais: Emílio Carlos (R$ 448.884,11) e Padre Albino (R$ 439.400,64). 

Não deu 1
O juiz da 6ª Vara Cível de Rio Preto, Marcelo de Moraes Sabbag, rejeitou pedido do presidente do Monte Líbano, Nadim Cury, que pretendia suspender a eleição para escolher a nova diretoria do clube, marcada para o dia 7 de junho. Além da suspensão, Nadim solicitava a prorrogação do mandato da atual diretoria até o fim da quarentena imposta pelo coronavírus.

Não deu 2
"A realização da assembleia geral ordinária para a realização de eleição de forma presencial permitirá a reunião de um número significativo de pessoas em um único local, contrariando as recomendações de isolamento social e ausência de aglomerações para prevenção do contágio pelo coronavírus e proteção da saúde pública”, argumentou Nadim Cury, que também é provedor da Santa Casa, na ação.

Até o Borim
O presidente do Monte Líbano anexou no processo até ofício do secretário de Saúde, Aldenis Borim, dizendo que "qualquer ato que ocasione acúmulo de pessoas está em desacordo com as disposições legais previstas nas normas estaduais e municipais”.

Sentido republicano
Mas o esforço de Nadim foi em vão. Para o juiz Marcelo de Moraes Sabbag, a votação para eleger a nova diretoria do Monte Líbano pode ser feita por meio eletrônico. O magistrado diz, ainda, que o adiamento das eleições e, principalmente, a prorrogação dos mandatos "escapa do sentido republicano”.

Pressão...
Os vereadores Pedro Roberto Gomes e Zé da Academia (ambos do Patriotas) vão se reunir com Jair Moretti, secretário de Governo de Edinho Araújo (MDB), nesta terça-feira (26). Vão botar pressão para que a administração pague o auxílio-atleta, suspenso durante o período da pandemia da Covid-19. 

...de todos os lados
Um projeto de Zé da Academia foi aprovado na Câmara para o Executivo continuar o pagamento, e acabou  vetado por Edinho. Nos bastidores, a ideia é pressionar o prefeito a convencer a base aliada no Legislativo a derrubar o veto. Assim, a proposta é sancionada. Posteriormente, a Prefeitura de Rio Preto entra com Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). Por se tratar de um período de pandemia, o governo deve pedir prioridade na tramitação. Ou seja, vai jogar a decisão para a Justiça. 

Receio
O DLNews apurou que Edinho tem receio de pagar o auxílio-atleta neste momento e responder judicialmente por sancionar a proposta. Mas caso a Justiça dê o aval, o governo deve arcar com o pagamento de cerca de 230 atletas. Caso contrário, Edinho escapará de uma fria criada pela Câmara. 

Storino 1
Figura polêmica da política rio-pretense no início dos anos 2000, o jornalista e ex-vereador Luiz Storino (2001 a 2004), que estava sumido da cena local, está de volta, e pela porta da comunicação. 

Storino 2 
Storino,  ex-marido de Eliana Storino, então vice-prefeita no segundo mandato de Edinho Araújo (MDB), assumiu a coordenação da TV Rio Preto, onde promete esquentar a pauta política. Garante, no entanto, que o exercício da política, em si, não está mais nos seus planos. 

Previdência municipal 
Começou nesta segunda-feira (25) e vai até quarta-feira (27) a votação, por meio online, de novos integrantes dos conselhos Administrativo e Fiscal da RiopretoPrevi, a previdência dos servidores municipais de Rio Preto. Se a concorrência é baixa, a mobilização dos candidatos para mostrar poder de fogo junto à categoria tem sido intensa nos grupos de Watsapp. E conta com nomes fortes. 

Figurinhas carimbadas 
Na briga por uma das duas vagas de servidores ativos do Conselho Administrativo estão Carlos Henrique de Oliveira (ex-presidente do Sindicato dos Servidores e ex-presidente do PT), Darok Viana, presidente do Conselho Afro e o agente administrativo Valter de Lucca. A única vaga de inativo conta com cinco nomes na disputa: Márcia Fontana, Rosycarmen Alvares, Maria Teresa Miguel, José Roberto Santos e Elaine Rosa. 

4 por 2
As duas vagas do Conselho Fiscal são pleiteadas por Clodoaldo Sardilli (aposentado), José Ivo Moreira (lotado no Semae), Maura Alves de Almeida (professora da educação básica) e Fabiano Luís Medeiros Sanches (Gaurda Municial). 

Rebelou-se 1
Votuporanga, que vinha se destacando como exemplo regional na adesão ao isolamento social, já não é mais a mesma. Com índices em baixa, a cidade deixou de figurar no ranking dos 20 municípios paulistas com melhor desempenho, onde se manteve por semanas a fio. O mesmo aconteceu com Bebedouro. 

Rebelou-se 2
A população, indicam os números, cansou de ficar dentro de casa. Na sexta (22) Votuporanga atingiu apenas 48% de isolamento e, no sábado, cravou 48%. No domingo, subiu para 54%, patamar que a cidade mantinha anteriormente nos dias de semana. 

Rebelou-se 3 
O prefeito João Dado decidiu flexibilizar serviços como salões de beleza e templos religiosos mesmo com decisão contrária da Justiça. A cidade conta com duas mortes confirmadas pela Covid-19 e 33 infectados, de acordo com o último boletim emitido pelo município. 

Denúncia 1
O Ministério Público de Mirassol analisa documentos enviados pelo vereador de Bálsamo Bruno Xavier (DEM) sobre supostos crimes cometidos pelo prefeito Carlos Eduardo Carmona Lourenço (MDB). Um empresário de Rio Preto procurou Xavier e afirmou que entregou cinco cheques de R$ 10 mil cada ao chefe do Executivo da cidade em troca de uma área de 1,9 mil metros quadrados em Bálsamo. 

Denúncia 2
No entanto, a área não teria sido doada até o momento. Para o empresário, o caso é um "golpe”. Ele afirmou ainda que os cheques foram endereçados a uma pessoa indica por Lourenço. O DLNews não conseguiu falar com o prefeito nesta segunda e o espaço está aberto para o posicionamento. O vereador Xavier, inclusive, vai protocolar a denúncia no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Rio Preto.

Virou Mix 1 
Nascida em 1º de março de 1944, a Rádio Difusora de Catanduva não existe mais. Na manhã desta segunda-feira (25) foi realizada a solenidade de afiliação da tradicionalíssima e mais antiga emissora local à Mix FM. 

Virou Mix 2
Já a Mix FM, que tinha perdido uma rádio de Taquaritinga para o Grupo Massa de Comunicação, agora recupera o espaço na região com a aquisição da Difusora.

Briga de gigantes 
A nova rede passa, agora, a concorrer diretamente com outras duas grandes franquias em Catanduva. A Nativa, que pertence à família do Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi (PSDB). E a Jovem Pan, do empresário e ex-prefeito Afonso Macchione.  






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!