Foto por: Lucas Israel
Polêmico outdoor de Moro na avenida Alberto Andaló

Outdoor pró-moro foi patrocinado por ’apoiadores fantasmas’ do ministro

Por: Maria Elena Covre, Lucas Israel e Fabrício Carareto
16/01/2020 às 20:45
Bastidores

Placas de apoio à política anticrime do ministro provocaram reação e polêmica

Apoio fantasma 1
Os outdoors da discórdia, afirmando que Rio Preto apoia 100% Sérgio Moro e sua política anticrime, foram encomendados e pagos por um grupo pelo menos quatro apoiadores "anônimos” do ministro da Justiça.


Apoio fantasma 2
A informação foi passada pela empresa J Silva Painéis, que não informou os nomes dos integrantes deste grupo de apoiadores "fantasmas”, nem os valores pagos por eles. O sigilo faria parte do acordo feito antes de fechar o negócio.

100%, não 1
São quatro placas publicitárias no total que brotaram nas principais avenidas de Rio Preto e provocaram protestos por parte de militantes de partido de esquerda e movimentos contrários à polícia de segurança do governo federal. Também há placas em Mirassol, dizendo que a cidade apoia 100% o ministro, com reações contrárias semelhantes.

100%, não 2
Os esquerdistas estudam uma forma de questionar os outdoors na Justiça, se houver fundamentação jurídica para argumentar propaganda política antecipada. Outra hipótese estudada é colocar um outdoor ao lado atestando que não é 100% dos moradores de Rio Preto que apoiam as ações de Moro.

Só na Justiça
Segundo Carlos Manhanelli, consultor em marketing político, não há nada que proíba a manifestação pró-Moro. "Em propaganda, não existe a obrigatoriedade legal de colocar quem está pagando. Como não está subordinado à legislação eleitoral, nem cível, nem criminal, o caminho é acionar a Justiça e solicitar tal informação. Mas isso, mediante exposição do prejuízo causado a parte da população que, em tese,  discorda do teor”, afirma o consultor.


Planos para Catanduva
O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), e o deputado federal Geninho Zuliani (DEM), de Olímpia, estariam por trás de uma movimentação que, se levada a cabo, promete dar uma boa chacoalhada na cena política de Catanduva, tendo em vista a disputa pela prefeitura neste ano.

Made in Santa Adélia
Os caciques do DEM seriam padrinhos de Marcelo Hercolin, importado diretamente de Santa Adélia, onde foi vereador e duas vezes prefeito, como candidato a prefeito da cidade. Hercolin, que também atuou na Secretaria de Habitação com Rodrigo Garcia quando este foi titular da pasta no governo Geraldo Alckmin, já estaria providenciando a mudança de seu domicílio eleitoral. 
 
Para furar as bolhas
Uma vez consolidado o projeto, ex-prefeito de Santa Adélia surgiria como "novidade” numa cidade que há quase duas décadas se vê dividida entre três grupos políticos dominantes: o do atual prefeito Afonso Macchione (terceiro mandato); o dos irmãos petistas Beth Sahão (deputada estadual) e Félix Sahão (ex-prefeito por dois mandatos) e o da família Vinholi (Marco, secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, e o pai dele, Geraldo, ex-prefeito duas vezes), ambos do PSDB.

De Itápolis
Ilustrativo dizer que Geraldo Vinholi, que começou vida política em Itápolis, mudou-se para Catanduva quando ainda era deputado estadual para trabalhar sua candidatura a prefeito. Chegou e levou, o que mostra que o propalado bairrismo da Cidade Feitiço não vale para a política.

E a relação?
Resta saber como ficaria neste jogo a relação entre Rodrigo Garcia e Marco Vinholi. O segundo é homem de confiança de João Doria, colocado como presidente estadual do PSDB justamente para tentar ressuscitar a legenda em cidades-chaves do Interior, como Catanduva e Rio Preto. Será que o democrata tem interesse em bater de frente com o tucano?

O poder do lobby 1
O Hospital de Base de Rio Preto projeta captar algo em torno de R$ 30 milhões em emendas de deputados federais e estaduais neste segundo ano de atuação de sua equipe de relações institucionais e governamentais.

O poder do lobby 2
Este é o valor que o pessoal que atua no setor já tem prometido por parte dos políticos. O atual ciclo de emendas começou em outubro do ano passado e se consolida no comecinho de março. É quando o pessoal carimba o recurso de fato.

Etapas
 A captação não significa necessariamente execução do dinheiro previsto no orçamento da Unidão ou do Estado. Ou seja, que o dinheiro vai cair de fato nos cofres da instituição, porque aí entra outra etapa de pressão junto aos governantes de plantão.

Otimista
A expectativa de R$ 30 milhões é otimista. No primeiro ano de atuação da equipe, a captação chegou a R$ 9 milhões, embora nem todo o recurso tenha sido executado ainda. Até que esse trabalho começasse a ser realizado, o valor médio de emendas conseguido pelo HB ficava na casa dos R$ 4 milhões, com execução de metade disso.

Por aqui
Em Rio Preto no próximo dia 24, o deputado federal Kim Kataguiri (DEM), um dos fundadores do MBL, já colocou o Hospital de Base como atividade obrigatória em sua agenda. Outro foco são os veículos de comunicação. Kim quer mostrar a contrapartida: R$ 2,5 milhões em emendas. 

Carnaval em bloco 1
Representantes das secretarias de Desenvolvimento Social e da Cultura se reúnem na manhã desta sexta-feira (17) com integrantes dos blocos de Carnaval de Rio Preto. O objetivo é definir como se dará neste ano o apoio da prefeitura aos grupos espalhados pela cidade.

Carnaval em bloco 2
"Temos os blocos mais tradicionais, que receberam apoio da prefeitura nos anos anteriores. A tendência é não mudar esse formato de apoio. Mas isso a gente vai definir na sexta”, diz o secretário Jorginho Souza, do Desenvolvimento Econômico.

Vem grita aí 1
Tudo indica, no entanto, que embora a situação seja menos complicada para os blocos do que para as escolas de samba em termos de grana pública, deverá vir grita por aí. Isso porque gente do governo municipal tem sinalizado que haverá reformulação no formato desenhado nos anos anteriores.

Vem grita aí 2
Mudanças que podem afetar blocos que já ganharam certa tradição, como o do Centro Cultural Vasco, reduto do ex-deputado estadual João Paulo Rillo (PT), adversário de Edinho Araújo (MDB) nas eleições deste ano e um dos seus críticos mais ferozes.

Vulneráveis
Os três Centros de Referência de Assistência Social (Cras) de Rio Preto atenderam juntos  20.747 pessoas, ou 13.069 famílias, em 2019. O Cras é a porta por onde chegam ao poder público municipal a população em situação de vulnerabilidade social. 

Garotinho Araújo 1
Do alto de suas sete décadas de vida, o prefeito Edinho Araújo (MDB) não vem medindo esforços para encarnar uma imagem jovial e vigorosa às vésperas de um novo pleito eleitoral, quando juventude e renovação sempre surgem como ativos valiosos.

Garotinho Araújo 2
Nesta quinta (16), sob o sol que o rio-pretense conhece bem, o homem colocou as pernocas de fora e surgiu todo pimpão com um boné na cabeça ao lado dos secretários Sérgio Issas (Obras) e Israel Cestari Jr. (Planejamento), mais o engenheiro Arno Della Libera Jr., num tour pela cidade.

Garotinho Araújo 3
Assim, no melhor estilo "senhor garotão”, Edinho passou, sob pretexto de visitar obras, pelo Solidariedade, São Marcos, João Paulo, São José do Rio Preto 1 e Cidade Jardim.

Foto por: Divulgação
Prefeito Edinho Araújo visita obra com secretários





Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!