Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.



Foto por: Divulgação
Candidatos à Prefeitura de Rio Preto

ANÁLISE: Para quatro prefeituráveis de Rio Preto, vacina contra a Covid não deve ser obrigatória

Por: Maria Elena Covre e Fabricio Carareto
22/10/2020 às 18:32
Eleições 2020

Outros três candidatos à Prefeitura defendem que a imunização seja compulsória, e dois ficam em cima do muro


Fla-Flu da vacina 1
Ingenuidade pensar que em meio à polarização política que o Brasil vive - e com a disputa presidencial de 2022 atropelando a corrida eleitoral nos municípios -, uma possível vacina contra o novo coronavírus (todas ainda em fases de testes) sairia ilesa pelo Fla-Flu incendiário potencializado redes sociais.

Fla-Flu da vacina 2
Tudo é motivo de opiniões e ações extremadas. Distribuir ou não a Coronavac, a vacina chinesa para o Brasil todo, e obrigar ou não o cidadão brasileiro a se imunizar são dois temas que estão na ordem do dia. E, muito provavelmente pela intensidade da polêmica, têm ficado fora da pauta da maioria dos candidatos a prefeito de Rio Preto nos debates e na propaganda eleitoral. 

Fala, candidato
O DLNews levou a questão aos dez postulantes ao Executivo de Rio Preto. Apenas Casale, do PSL, não respondeu. Edinho Araújo (MDB), Celi Regina (PT) e Carlos Alexandre (PC do B) são favoráveis à obrigatoriedade da imunização. Coronel Helena (Republicanos), Rogério Vinícius (DC), Carlos Arnaldo (PDT) e Paulo Bassan (PRTB) falam em conscientização, mas repudiam a obrigatoriedade. Já Marco Rillo (PSOL) diz que decisão compete à ciência. E Filipe Marchesoni fala que não se trata de opinião pessoal.  Confira abaixo as respostas na íntegra e veja que, neste caso, a diferença de opinião não é marcada por posições ideológicas. 

Deve ser obrigatória 
"Todas as vacinas, inclusive a da Covid-19, após testadas e comprovadas, devem fazer parte do calendário oficial e, em decorrência da pandemia, que já começa seu segundo ciclo na Europa, batendo recordes de contágio, deve ser obrigatória.” (Carlos Alexandre, PC do B)

Livre arbítrio  
"Sou a favor do livre arbítrio. Como todas as outras vacinas, toma quem tem responsabilidade. Eu tomarei assim que for aprovada pela Anvisa". (Carlos Arnaldo, PDT)

Questão de bom senso  
"Sou a favor da vida, do bem-estar e da saúde coletiva, portanto a vacinação contra um vírus que já vitimou milhões mundo afora é questão de bom senso. A vacina é direito do povo, por isso é preciso estar do lado da ciência, da medicina, e garantir que possamos erradicar a pandemia, assim como aconteceu outrora com surtos de sarampo e poliomielite." (Celi Regina, PT)

Contra a obrigatoriedade
"Sou contra a obrigatoriedade, porém defendo que deve haver uma ampla campanha de conscientização da sociedade desde que a vacina seja segura.” (Coronel Helena, Republicanos)

Pela obrigatoriedade 
"Sou a favor da obrigatoriedade da vacinação contra a Covid19, após a  aprovação pelos órgãos regulamentadores. Do ponto de vista técnico, entendo ser a única forma de se evitar a doença, que é nova, é altamente transmissível e não há tratamento padronizado em nenhum lugar do mundo.” (Edinho Araújo, MDB)

É preciso cumprir a lei
"De acordo com a Constituição Federal, é dever do Estado garantir a saúde de todos, mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. Compete ao poder público municipal atuar de acordo com a Constituição e às leis. Não há espaço, portanto, para a opinião particular do ocupante do cargo público ou quem pleiteie ocupá-lo." (Filipe Marchesoni, Novo)

Tem de ouvir a ciência
"Essa é uma decisão que tem de ser tomada escutando a ciência e as autoridades médicas e não por oportunismo eleitoral.” (Marco Rillo, PSOL)

No calendário
"Acredito que após aprovada e testada fará parte do calendário vacinal assim como a H1N1. Não entendo a polêmica da obrigatoriedade. Porque obrigar alguém a usar algo que vai lhe salvar a vida?” (Paulo Bassan, PRTB)

Precisa conscientizar 
A questão não é ser a favor ou contra. O que não consigo enxergar é a possibilidade jurídica de você obrigar o uso da vacina, especialmente quando ela não foi aprovada em todas as fases de teste. Pela Constituição Federal, ninguém pode ser obrigado a fazer nada sem uma legislação determinando. Teria de ter uma lei para isso.  Não vejo com bons olhos o movimento antivacina, mas também não vejo saída jurídica para a obrigatoriedade. O que as autoridades precisam fazer é educar e estimular as pessoas a tomar a vacina. Mas não acredito que seja possível obrigá-las.” (Rogério Vinícius, DC)







Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!