Márcio Correa

Jornalista


Sala São Paulo

Por: Márcio Correa
06/09/2019 às 11:28
Márcio Correa

O relógio no braço sapecado de sol marca 17h de um dia quente movido à média de 80 a 100 km/h naquele trecho da marginal de Pinheiros. Embora um final de tarde de sábado tipicamente paulistano, o cenário geral é o mesmo de qualquer outro dia da semana, exceto o domingo, que tem cara de... Domingo!

Paulo acerta-se com as setas à saída da cidade. Encaixa-se entrecruzando-se com os milhares de outros veículos ansiosos, como o gás dos champanhes da noite anterior. Ensaia o súbito balé das freadas e aceleradas bruscas e estressantes regido pelo som de buzinas e cornetas, chiados e xingamentos de todas as ordens e marcas automobilísticas.

Serginho, garoto esperto segue pela lateral da via e presencia, a poucos metros dele, um carro que perde o passo na harmonia do conjunto. A pancada é feia. Será que morreu gente? E lá vai Serginho, escravo da curiosidade e do oportunismo, ver no que deu a "tropicada”.

Paulo estaca e espera uma oportunidade de continuar sua jornada. Janela aberta porque ar condicionado em carro mil é luxo. Serginho ziguezagueia e para diante de Paulo na mesma janela. Encosta na garganta dele a chave de fenda virada em batuta e dá o tom do encontro entre os dois: "perdeu, playboy”.

Milhares de automóveis, acotovelando-se, viram notícia quente enquanto o ar paulistano ferve e ressoa nas alturas, graças ao congestionamento quilométrico de escapamentos vibrando em uníssono na pauta maquiavélica das médias e grandes cidades brasileiras.

Paulo, sem os valores, mas cheio de saúde e melancolia coça a mancha clara no pulso do braço suado e pensa quanto tempo mais tem a perder nessa vida descompassada...






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!