Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.



Pedro Roberto, presidente da Câmara
Foto por: Divulgação
Pedro Roberto, presidente da Câmara

Vereadores usam sessão da Câmara para desabafar sobre denúncia da rachadinha

Por: Da Redação
26/08/2021 às 17:48
Política

Em clima tenso, vereadores cotados em investigação sobre rachadinha de salários de assessores se dizem indignados. "parece que todos os 11 vereadores pegam essa "disgrama" de rachadinha. Essa história de fantasminha", diz Julio Donizete


O presidente da Câmara de Rio Preto, Pedro Roberto (Patriota), abriu espaço na sessão desta quinta para vereadores se manifestarem sobre a denúncia de suposto esquema de rachadinha, que teria envolvendo 11 parlamentares, um deles vereador licenciado. O caso de suposta devolução de parte de salário de assessores aos parlamentares acusados, está sendo investigado pela Polícia Civil.

Os que usaram a tribuna se defenderam da acusação, negaram a prática da rachadinha e criticaram o colega Renato Pupo (PSDB), que teria sido o autor da denúncia - Pupo diz que apenas recebeu a denúncia e encaminhou à Delegacia Seccional. Confira abaixo o que disseram os vereadores, bastante exaltados e com os nervos à flor da pele. Odélio Chaves (PP), por exemplo, fez seu discurso aos berros.

Jorge Menezes (PSD)
"Não dá para entender situação. Isso que aconteceu sabemos que é uma combinação entre quatro paredes. Essa pessoa que fez essa denúncia sabemos, a gente vai chegar nela. Não adianta querer derrubar 11 gabinetes. O mais engraçado é que foram só 11. Denunciante é expert, detalhou 11 gabinetes, esqueceu dos outros. Deu um tiro na base. Esqueceu dos vereadores do PSDB. Se esqueceu do Republicanos. Querendo colocar aqui que é denúncia anônima, feita a delegado vereador em seu próprio distrito? Me desculpe, tenho respeito, mas isso é uma vergonha. Por que 11 vereadores? Por que esse cidadão que é um covarde, não honra o que tem no meio das pernas? Sabemos que essa pessoa é daqui. Pula de gabinete em gabinete. Sabe nome de todos os assessores dos 11 gabinetes. Aí vai, faz denúncia, delegado aceita denúncia anônima, isso que deixa a gente chateado. Vou entregar tudo o que pediram para mim. Minha conta, dos meus assessores... Tenho duas lojas, trabalho desde os 14 anos, não vivo da política. Não fico entre quatro paredes para derrubar os outros. Só porque não votou seu projeto. Vou até o final com isso. Mostrar para minha família e meus amigos. Fico chateado que saiu daqui de dentro. Vermes rastejantes que fizeram isso. Por coisas banais. Mexeram com a pessoa errada. Não preciso desse salário e de nada dos meus assessores.

Julio Donizete (PSD)
"Eu me sinto indignado com essa situação. Mas de 20 anos servidor, policial militar. Ouvia falar que na política quando começa a fazer algo que incomoda alguém, surge-se a guerra política. No meu ponto de vista denúncia sem fundamento. Se qualquer pessoa fizer denúncia anônima e fizerem essa carnaval... Jogo político é sujo, quem perde é a sociedade. Imprensa... parece que já foi condenado, uma denúncia que não tem o pilantra identificado. Parece que foi escolhido a dedo. Gabinete está de portas abertas para que seja feita qualquer investigação. Só peço que divulguem ao final do mesmo jeito. Hoje, parece que todos os 11 vereadores pegam essa "disgrama" de rachadinha. Essa história de fantasminha, que fez a denúncia, vai provar que não tem nada, manchou 11 vereadores, e fica elas por elas. Após o término espero que a imprensa divulgue da mesma maneira. Isso não passa de jogada política. Eu e meu gabinete não compactuamos com irregularidade. Que seja feita investigação e puna quem tem de punir. Tive mais de 500 ligações de amigos perguntando."

Odélio Chaves (PP)
"Tudo começou com denúncia anônima recebida 25/05 pelo Renato Pupo, oposição nessa casa, envolvendo 11 vereadores da situação, que estariam rachando salário de assessoresEsse é o verdadeiro canalha. Homem que se esconde à luz das trevas não pode dar outro nome que não canalha. Meu chefe de gabinete, Cesar Dornelas, nunca estivemos como investigados num inquérito. Temos vida proba. Uma denúncia feita sem nenhuma prova, nenhum resquício de materialidade. Não quero pecar nessa tribuna. Vejam como está minha esposa, minha comunidade. Falaram de organização criminosa. Meu pai foi internado. Que tenhamos responsabilidade. Não deixamos sentimentos imundos acabar com a vida de pessoas honestas. Não vou esmorecer. Estarei com meu advogado e vou até o final. O que me causa estranheza é que vejo delegado de polícia dando declaração que nem se lembrava que recebeu denúncia de 11 vereadores. Ele fala. Quero deixar para comunidade de Rio Preto, sou um homem honesto. Meu gabinete são pessoas de família, honestos, probos. Isso não ficará assim, nem que gaste todo meu patrimônio, vou até o fim. Até os sujos, os bandidos têm ética. Isso não ficará desse jeito. Não se faz isso, tenho um filho. Recebeu mensagem, que o pai faz rachadinha. Que mundo é esse, onde as pessoas não têm escrúpulos. Eu vivo na luz do onipotente. Entramos pela porta da frente. Escrevam o que estou falando, sairemos pela porta da frente. Nenhum dos meus assessores terá o nome jogado na lama. Sou um homem de bem. Pago meus impostos, pago meu dízimo, os compromissos de Deus. Não me calarei."

Bruno Marinho (Patriota)
"Venho mais do que negar. Venho mostrar minha repulsa, denúncia anônima, de um covarde, direcionada, escolhida a dedo deita de modo cirúrgica para desqualificar homens que trabalham. Divergências políticas são normais, mas o que está sendo feito não pode ficar só registrado num papel sem que os responsáveis sejam exemplarmente punidos. Sou advogado, nunca tenho nada que me desabonasse na vida. Avisei meus familiares que não estavam habituados com política que algo podia acontecer, mas não algo assim. 11 vereadores. Hoje, mais do que dar parecer para população, e pessoas que confiaram na minha campanha, venho aqui e convoquei todos meus assessores para estarem aqui. O nosso gabinete, não desmerecendo nenhum, é o melhor da Câmara. Atende a todos. Não vamos desistir. Quando pedi para fazerem parte do meu gabinete, jamais imaginei que ia acontecer isso. Denúncia eleitoreira, ninguém aguenta mais falar em eleição. Pessoas só pensam em eleição. Verdade será mostrada. Até 2024, você que é uma pessoa frustrada, vai ter de me engolir."

Bruno Moura (PSDB)
"Confesso que estou me segurando, mas vamos fazer reflexão. Em solidariedade aos citados, em especial Odélio, sua esposa, filhos... sabe o que é engraçado, não são 11, é a Casa toda. Quando um faz merda, são todos. Não acho engraçado falar que 11 amigos são investigados. É triste. Debate tem de ser aqui. Isso é golpe baixo. Não adianta vir com desculpinha que não foi. Todos estão envolvidos. Como vou andar de cabeça erguida lá fora. Entrei aqui para mudar o sistema. Até bandido tem ética. Estou horrorrizado. Isso não é coisa de homem. Olha situação que essa Casa chegou. Debate político é uma coisa, estão entrando no pessoal. Por um minuto não pedi pra sair disso aqui. Não vai mudar. Triste realidade. Como vai ser luz aqui? Estou desanimado. Vamos até o final."

Celso Peixão (MDB)
"A Paula Bertoni, Agnaldo José e Leonardo Salvador, do meu gabinete." Ficou os 5 minutos segurando papel com o nome dos assessores.

Renato Pupo (PSDB)
"Não me citaram, mas não sou bobo. Só para esclarecer. Estou de férias. No final de maio chegou essa denúncia e não me lembrava, não associei aquela denúncia. Ao começar a ler e ver o que se tratava, fiz o que qualquer profissional sério faria, encaminhei para a Seccional. Não interfiro. Nunca mais acompanhei. Quando estourou a notícia, era de outro setor de crime, achei que era outra coisa, aquela mandei para Seccional. Acreditem, não terminei de ler a carta, não analisei documentos, sob risco de perder imparcialidade. Se eu tiver de denunciar alguém, vou dar meu nome. Poderia dizer, representei. Já processei o Pauléra. Sempre encaminhei denúncias, porque faria diferente dessa vez. Se fosse para ser no anonimato não teria encaminhado com minha assinatura. Por que chegou na minha delegacia? Por que sabem que sou sério. Queria que eu fizesse o quê? Sentasse em cima? Rasgasse? Jamais. Nunca vou engavetar nada. Não uso minha condição para prejudicar. Teve um vereador que me chamou de delegadinho de merda, que na minha delegacia tinha inquérito tributário, passei para outro delegado, agora soube que foi condenado. Nunca quis saber. Mas estão certos, descubram quem denunciou. Júlio, você é policial, acha que vai me intimidar? Tenho 29 anos de polícia, não é uma frasezinha dessa que vai me intimidar. Odélio, chamou de canalha. Dou três segundos para falar quem é, senão vou processar."


Após a fala de Pupo, Odélio disse que não citou o nome do colega. Bruno Moura, que falou sobre o assunto, não está na lista dos 11 investigados. Os demais vereadores não se manifestaram sobre o assunto na sessão.

(Obs.: texto atualizado na fala de Odélio. Ele não se referiu a Pupo como "canalha", mas à denúncia anônima. A frase correta foi esta: "... este é o verdadeiro canalha. Homem que se esconde à luz das trevas não pode dar outro nome que não canalha."







Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!