Foto por: Divulgação HCM
Pais poderão voltar em segurança para casa junto com a filha

Pais da pequena Maria Julia começam contagem regressiva para levá-la para casa

Por: Bruna Yamasaki
11/08/2020 às 10:18
Cidades

Somente após 18 dias do nascimento da primeira filha, os pais Ana Julia e Thiago puderam a conhecê-la. Final feliz para mais um drama escrito pela Covid-19.

Um mês depois de o casal Ana Júlia e Thiago descobrirem a gravidez,  o País começou a viver as mudanças que o mundo todo já vinha passando. A pandemia do novo coronavírus trouxe uma rotina inesperada para a gestação da pequena Maria Julia. Mas, felizmente, tudo acabaria bem seis meses mais tarde.

No dia 13 de julho, a mãe, de 34 anos, foi diagnosticada com a Covid-19. Apesar da dor no corpo e febre, a doença estava sendo tratada em casa, até que, no oitavo dia, ela desenvolveu problemas respiratórios e precisou ser internada no Hospital de Base.

Foi, então,  constatado que Ana Júlia estava com metade do pulmão comprometido, o que preocupou a médica sobre a gestação. Por conta dos riscos de maiores complicações, três dias depois de a mãe ser internada, nascia Maria Julia.

"Meu batimento não diminuía, o da Maria Julia começou a acelerar e comecei a ter mais contrações. A médica decidiu fazer o parto para não complicar mais”, contou.

As expectativas para a chegada da "bebê arco-íris”, como é chamada pela mãe, era ainda maior que o normal, já que há um ano e meio Ana Julia havia perdido uma gestação. Além disso, a retirada de uma trompa estabeleceu um desafio a mais nessa jornada.

Neste domingo (9), os pais puderam ver pela primeira vez, presencialmente, a filha desde o dia do nascimento. O pai, que não pôde acompanhar o parto, estava ganhando um presente de Dia dos Pais mais do que especial.

"O encontro no Dia dos Pais foi no HCM e foi muito importante para nos. Devido à pandemia não pode entrar duas pessoas, mas deixaram porque era dia dos pais e pra mim foi uma emoção muito grande”, falou.

Isolados desde março dentro de casa, Ana Julia contou que nos últimos dias precisou sair devido à gestação, momento que pode ter contraído a doença. O pai, de 33 anos, que também estava trabalhando em home office por ser do grupo de risco, não se contaminou.

No último dia 25, dois dias após  o parto, a mãe teve alta médica. Quanto à bebê, a expectativa é que na próxima terça-feira (18) ela também seja liberada e vá para casa em segurança com os pais. Agora todos juntos e saudáveis.






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!