Foto por: Catraca Livre
Primeira manifestação antifascista ocorreu no domingo passado na avenida Paulista, em São Paulo

Grupo convoca ato antifascista em frente ao Tiro de Guerra em Rio Preto

Por: Maria Elena Covre, Fabrício Carareto, Heitor Mazzoco e Lucas Israel
06/06/2020 às 20:08
Bastidores

Manifestação antifascista e antirracista tem também como alvo o presidente Jair Bolsonaro

No TG 1
O Tiro de Guerra em Rio Preto será palco para mais uma manifestação neste domingo (7). Mas, ao contrário do que ocorreu no dia 19 de abril, quando os manifestantes se reuniram no local para pedir intervenção militar e apoiar o presidente Bolsonaro, o evento marcado para este domingo (7) propõe um ato antifascista e antirracista. E contra o presidente Bolsonaro, obviamente.

No TG 2
A manifestação está sendo convocada nas redes sociais pelo grupo "Somos 70% - Rio Preto”, que reúne 4,5 mil membros no Facebook. O ato está marcado para sair às 14h da rotatória da Unesp em direção ao Tiro de Guerra. "Se for do grupo de risco, fique em casa. Ato pacífico, venha de máscara e mantenha o isolamento”, diz a convocação do grupo nas redes sociais.

No TG 3
O quórum da manifestação, porém, é uma incógnita. No grupo, os integrantes se dividiram entre ir ao ato ou ficar em casa. "Recomendo a todos que não vão a manifestações esse fds... O pau (vai) quebrar... Não caiam nessa” disse um. Já outro afirmou que irá. "Temos que ir, não tenho medo de apanhar ou morrer pelo o que é certo ... quem não quiser ir não vá”.

Lula livre
Por falar em protesto, meia dúzia de manifestantes do chamado "Coletivo Lula Livre-Rio Preto” desfilou com faixas na manhã deste sábado (6) pelas principais avenidas de Rio Preto – Murchid Homsi, Alberto Andaló, Bady Bassitt e Mirassolândia. Os manifestantes estenderam faixas "Fora, Bolsonaro” e "Democracia”. Entre os integrantes do coletivo, está o sindicalista e ex-presidente do PT Carlos Henrique de Oliveira.

Insta
Após receber uma avalanche de críticas de empresários e setores que exigem uma maior flexibilização em Rio Preto, o prefeito Edinho Araújo (MDB) resolveu utilizar sua conta no Instagram para tentar mostrar uma agenda positiva.

Mercadão e Calçadão
Nos stories, publicou uma foto com a mensagem "Obras no Calçadão de Rio Preto avançam” e outra para falar sobre as obras no Mercadão. Na falta de um palanque físico em tempos de pandemia, Edinho tenta usar o virtual para reduzir parte do intenso desgaste político que tem sofrido nos últimos meses.

Bate-cabeça
Um operador do Direito ouvido pelo DLNews disse que a Justiça local tem "batido cabeça” sobre o Plano São Paulo de flexibilização da quarentena. Ele citou o exemplo de Rio Preto, com decisões contraditórias dos juízes Adilson Araki Ribeiro e da juíza Tatiana Pereira Viana Santos.

Bolsonaro x Doria
Enquanto Ribeiro atendeu solicitação da Acirp para liberar o funcionamento de salões de beleza e barbearias em Rio Preto, Tatiana tem negado pedidos neste sentido. Ele se baseia no decreto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que classifica esses estabelecimentos como sendo serviços essenciais. Já ela se ampara no decreto do governador João Doria (PSDB), que coloca Rio Preto na fase 2 da flexibilização.

É com o TJ
Para o operador de Direito, a tendência é que as decisões em primeira instância a favor de uma flexibilização maior sejam reformadas pelo Tribunal de Justiça (TJ). "Há prefeitos que acham que estão por cima, porque os juízes locais estão do lado deles. Mas essas decisões devem ser derrubadas na instância superior”, afirma o especialista.

Inequívoca proibição
Foi o que aconteceu em Araçatuba. Lá, o prefeito Dilador Borges (PSDB) decretou a abertura de salões de beleza, barbearias, bares e restaurantes. Em primeira instância, a Justiça negou pedido do Ministério Público para que a liberação fosse suspensa. No TJ foi diferente. "O município de Araçatuba se encontra na fase 2, para a qual é inequívoca a proibição de reabertura das citadas atividades”, assinalou a desembargadora Luciana Almeida Prado Bresciani.

Sistema...
Parte do empresariado tem mostrado que ignora como funciona sistema SUS ao pressionar prefeito Edinho a não receber pacientes de fora do município. Esse tem sido o discurso de alguns setores dentro da Acirp, do Ciesp e também do Sincomercio. 

... Único...
Ocorre que tanto o Hospital de Base quanto a Santa Casa de Rio Preto, que são as referências no tratamento da Covid na cidade, são hospitais estaduais e não municipais. Os recursos para os hospitais, inclusive, são provenientes do Estado de São Paulo e do Ministério da Saúde. 

... de Saúde
Desde meados de abril, o próprio governo de João Doria (PSDB) já respondeu ao DLNews dizendo que não há debate sobre para qual local um paciente deve ser enviado. Se houver necessidade de enviar pacientes de São Paulo ou Grande São Paulo para Rio Preto, isso será feito. E não há o que questionar ou pedir para prefeitura local.

No máximo
Em nota enviada à coluna, a assessoria de imprensa da Acirp diz que o valor da mensalidade associativa da entidade não é "a partir de 77 reais”, mas "no máximo” de R$ 77,07. Afirma ainda que, com os 30% de desconto que a entidade está aplicando a todos os filiados, esse valor está atualmente em R$ 48. E que os microempreendedores individuais pagam R$ 24 com os descontos. 






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!