Foto por: Reprodução
Promotor de Justiça Carlos Romani

Após decisões judiciais, salões de beleza correm risco de ser fechados em Rio Preto

Por: Maria Elena Covre, Fabrício Carareto, Heitor Mazzoco e Lucas Israel
16/05/2020 às 19:27
Bastidores

Revisão do decreto municipal que permitiu a abertura dos estabelecimentos será levada na segunda-feira (16) pelo Ministério Público à Prefeitura

Sem dó 1
As recentes decisões do Tribunal de Justiça (TJ) contra a abertura de alguns estabelecimentos, tais como barbearias, salões de beleza e até cultos religiosos, acenderam a luz amarela no Ministério Público (MP) de Rio Preto. As ações que suspenderam decretos municipais dessas atividades em cidades da região, como Mirassol e Votuporanga, foram assinadas pelo chefe do MP no Estado, o procurador-geral Mario Luiz Sarrubbo.

Sem dó 2
A coluna entrou em contato com o promotor Carlos Romani para perguntar se o Ministério Público pretende acionar a Procuradoria-Geral de Justiça para que entre com uma ação em Rio Preto, uma vez que aqui, em desconformidade com o decreto estadual, salões de beleza e cultos religiosos estão liberados de acordo com decreto assinado pelo prefeito Edinho Araújo (MDB). Romani respondeu que "está sendo reavaliada a questão na esfera administrativa”– ou seja, diretamente com a própria Prefeitura. E que apenas na segunda-feira (18) haveria uma resposta. 

Cruz...
A verdade é que o imbróglio traz um desgaste extra para o prefeito. De acordo com o plano estadual, Rio Preto – especialmente devido ao baixo índice de isolamento social – não estaria liberada para abrir os salões de beleza e barbearias. Edinho faz parte do comitê elaborado pelo governador João Doria (PSDB) para representar 101 municípios da região administrativa. E justamente ele, que deveria dar exemplo, estaria descumprindo o que determina o decreto estadual.

... e espada
Por outro lado, elaborar um novo decreto cassando o funcionamento de salões de beleza e de cultos religiosos poderia causar um estrago político de proporções inimagináveis. A opção seria esperar por uma ação do procurador-geral de Justiça, que tem feito um pente-fino em todos os municípios paulistas que não estariam obedecendo o decreto de Doria.

Escolha de Sofia
Edinho teria uma escolha jurídica ou política a tomar. Porque o fechamento dos salões de beleza e barbearias, além de outras atividades não-essenciais, é questão pacificada no Tribunal de Justiça. E a derrota na Justiça, caso não edite um novo decreto, seria certa. São aquelas escolhas que, qualquer que for a decisão, Edinho deve sair perdendo.

O plano
A Prefeitura deverá finalizar neste domingo (17) o plano regional que será apresentado ao governador João Doria. Os principais pontos dizem respeito à abertura gradual da economia após o dia 31 de maio. A apresentação está marcada para a tarde desta segunda (18), por meio de videoconferência.

Academia
Em meio ao abre-fecha de Edinho, neste sábado (17) foi realizada carreata pela abertura das academias em Rio Preto. O grupo saiu do Centro Regional de Eventos e seguiu para o Centro da cidade. Decreto de Doria impede a abertura dos locais, que foram declarados como sendo "atividade essencial” pelo presidente Jair Bolsonaro.

Novo round
E como desgraça pouca é bobagem para o prefeito, grupos bolsonaristas convocaram uma nova carreata neste domingo (17) para protestar contra a quarentena. O movimento é nacional, mas, em Rio Preto, Edinho e Doria serão novamente os alvos preferenciais do grupo.

No ninho 1
Os vereadores de Rio Preto nem vão ter o desgaste de rejeitar, em plenário, projeto de Gerson Furquim que determina corte de 50% nos salários do prefeito Edinho, do vice Eleuses Paiva (PSD) e dos próprios vereadores durante o período da pandemia.

No ninho 2
Isso porque parecer da Diretoria Jurídica da Câmara considerou a proposta ilegal e inconstitucional. Entre outros pontos, porque a redução não deveria ser proposta por meio de projeto de resolução e deveria partir da Mesa Diretora do Legislativo – o que não vai ocorrer nunca, já que os parlamentares da Mesa já disseram ser contra o projeto de Furquim.

No ninho 3
Com isso, se os três pareceres da Comissão de Justiça da Câmara seguirem o entendimento da Diretoria Jurídica, a redução pretendida por Furquim morre no ninho. Sem sequer ser votada no plenário e poupando os vereadores do desgaste de dizer não a um projeto que mexe nos seus próprios salários, enquanto a população sofre com os efeitos da pandemia.

Novo alvo 
Após rogar "praga” para que os políticos pró-quarentena "paguem seus pecados nas urnas”, o empresário Denílson Marzocchi decidiu agora girar sua metralhadora verbal em direção às "entidades que têm cargo político”. Que tomem vergonha ou peçam para sair”, afirma ele, numa clara crítica, entre outras, à Acirp, responsável pela indicação de Jorginho Souza para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do governo Edinho.
 
Vírus da política 
 "Entidades façam seu verdadeiro papel e tenham a coragem de se posicionar. Parem de fazer esse jogo caso contrário serão contaminados e exterminados também pelo vírus da política”, afirmou o empresário. 

Ele é ele...
Recém-filiado ao PSDB, Marzocchi foi apontado por Renato Pupo, pré-candidato tucano a prefeito, como um dos coordenadores de sua campanha, ao lado de Manoel Gonçalves, Beto Perosa e o ex-secretário de Trânsito Marcos Apóstolo. O vereador e delegado licenciado garante, no entanto, que não comunga com a cruzada antiquarentena de Marzocchi. "Este é um posicionamento pessoal dele”, afirmou.

Otimista 
O empresário rio-pretense Waldemar Verdi Júnior, que reina no patamar de cima do PIB local, esbanjou confiança ao projetar a retomada da economia no pós-crise do coronavírus. Pelo menos quando o assunto é o interior de São Paulo. 

Privilegiada
A fala de Verdi ocorreu em um webnar que reuniu empresários de diferentes ramos. Para ele, que é presidente do Grupo Rodobens, Rio Preto é uma cidade que não deve sentir os efeitos da crise econômica resultante da crise sanitária na intensidade de outros municípios, como, por exemplo, São Bernardo do Campo. 

Indústria ligth e serviços
"Rio Preto tem indústria ‘light’ e um setor de serviços forte. A cidade tem uma diluição da atividade econômica que proporciona recuperação mais rápida, mas nem por isso deixa de sofrer os impactos dessa crise, claro”, afirmou.

Atenção
Mas a situação atual é merecedora de preocupação, especialmente no ramo de automóveis, uma das especialidades do Grupo administrado por Verdi. Segundo estudo feito pela Fenabrave e citado pelo empresário, a venda de carros no Brasil despencou 76% no mês de abril.

Façam suas apostas
A piada da vez nos meios políticos é o "pedido humilhante" - nas palavras dele mesmo - feito por Dr. Rey para ser ministro da Saúde de Bolsonaro. O cirurgião plástico "das estrelas", como gosta de dizer, já tentou uma vaga na Câmara dos Deputados e foi rejeitado pela população. Para obter a vaga, disse ser favorável à cloroquina e à retomada das atividades econômicas. Entre Dr. Rey e Carlinhos da Farmácia, que virou meme em Rio Preto, quem você escolheria para substituir o cansado Nelson Teich?






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!