Foto por: Divulgação/Câmara dos Deputados
Fausto Pinato, deputado federal de Fernandópolis

Pinato ataca Teich em ofensiva orquestrada pelo PP para se apossar do Ministério da Saúde

Por: Maria Elena Covre, Fabrício Carareto, Heitor Mazzoco e Lucas Israel
15/05/2020 às 19:42
Bastidores

Deputado diz que o agora ex-ministro era fraco e não tinha liderança

Tudo pela Saúde  
Com a rendição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao Centrão e Nelson Teich já na marca do pênalti, o PP do deputado federal Fausto Pinato, de Fernandópolis, deflagrou no meio desta semana uma ofensiva orquestrada para retomar um cobiçado naco do governo federal que foi seu durante a gestão Michel Temer: o Ministério da Saúde. 

Pinato no ataque 
Na quinta (14), um dia antes de Teich jogar a toalha, o que se consolidou nesta sexta (15), Pinato postou vídeos em suas redes sociais "espancando” verbalmente o então ministro e também o diretor-presidente da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barras Torres. Afirmou, por exemplo, que os dois não estavam abertos ao diálogo com os deputados para tratar acertadamente a estratégia pública no combate à pandemia do coronavírus.

"Fraco”
Ouvido pelo DLNews logo após o anúncio da demissão de Teich nesta sexta, o deputado federal disse que o agora ex-ministro caiu porque é "fraco demais e não liderava”. E que a pasta precisava "ter alguém com um pouco mais de habilidade política para equilibrar saúde e economia”. 

Enquanto isso
Enquanto Pinato já desenhava o perfil necessário para o posto, seu colega no PP, o deputado federal Ricardo Barros - ministro da Saúde entre maio de 2016 e abril de 2018, quando entregou o cargo a outro pepista, Gilberto Occhi, para disputar as eleições - cumpria mais uma etapa na ofensiva coletiva do PP.

Barros pede o cargo 
Em entrevista à CNN, Barros praticamente pediu o cargo a Bolsonaro e mandou o recado de que está pronto para assumir o discurso do presidente, especialmente em relação à cloroquina e ao isolamento social, duas questões que foram decisivas para a queda dos ministros médicos, que insistem em se fiar na ciência quando o assunto é a pandemia do coronavírus. 

Segue o fio 
Barros, que não é médico, disse as quatro frases que Bolsonaro quer ouvir do novo titular da pasta:

1. "Usar cloroquina é bom e eu estou recuperado da Covid-19 porque a usei"

2. "Os hospitais estão quebrando pois não realizam mais cirurgias, já que os acidentes de trânsito diminuíram"

3. "O próximo ministro não pode ser médico, porque dessa forma não teria uma convicção pessoal a respeito da cloroquina"

4. "Mandetta e Teich não tiveram capacidade de organizar o combate ao coronavírus"

Mandou avisar 
Na região, assessores de Pinato já fazem chegar aos hospitais que o deputado está muito perto de retomar sua força no Ministério da Saúde, onde teve trânsito livre no governo Temer. 

Do outro lado... 
Já os deputados federais pela região que não estão de olho na cadeira que era ocupada por Teich demonstram apreensão com a nova troca de ministro da Saúde em meio à maior crise de saúde pública dos últimos 100 anos no mundo. 

… incertezas...
"A saída do segundo ministro da Saúde em menos de um mês revela o cenário de incertezas que a população brasileira está vivenciando diante da tragédia da pandemia do novo coronavírus. Este conflito e esta instabilidade na definição da forma efetiva que o governo deve adotar para conter o avanço da Covid-19 estão expondo o povo a riscos, ao desamparo”, afirma Luiz Carlos Motta (PL), deputado federal por Rio Preto. 

… e turbulência
Geninho Zuliani (DEM), deputado federal de Olímpia, diz lamentar as turbulências no Ministério da Saúde. "O pedido de demissão de Nelson Teich demonstra, em princípio, seu comprometimento com valores que estão acima da mera ocupação de um cargo político. O ex-ministro não se sujeitou à guerra de narrativas ou mesmo a imputação de como deveria agir, em desacordo com os princípios vetores da gestão pública, sempre obedecendo à ciência”, afirmou. 

Mulheres 1
O PSDB promove na próxima semana reunião por videoconferência com as cinco mulheres que vão disputar prefeituras da região pela legenda nas eleições deste ano. 

Mulheres 2
Duas delas já estão no cargo e tentam a reeleição, caso das prefeitas de Zacarias e União Paulista. As outras três cidades que o PSDB aposta em mulheres como cabeça de chapa são Mirassolândia, Orindiúva e Ubarana. 

Mulheres 3
O encontro virtual, organizado pelo coordenador regional Coca Prado, faz parte de uma série de reuniões virtuais que vai dividir os candidatos por grupos segmentados. Outro evento, por exemplo, será voltado para os nomes ligado à saúde. 

Alta 
Depois de 10 dias internado no Hospital de Base de Rio Preto com uma grave crise respiratória, o ex-prefeito Liberato Caboclo, 82 anos, recebeu alta na tarde desta sexta-feira (15). 

Homecare
Caboclo, que foi hospitalizado no dia 5 de maio e submetido a teste para Covid-19, cujo resultado deu negativo, seguirá em tratamento por meio de home care. 

Cuidados
Asmático e com alterações cardíacas, o quadro clínico do médico, ex-prefeito e ex-deputado federal inspira cuidados, segundo pessoas próximas à família. Familiares e amigos preferem que ele siga tratamento domiciliar devido aos riscos que o ambiente hospitalar oferece em tempos de coronavírus. 

Parou geral
O coronavírus levou a mesa diretora da Câmara Municipal de Bady Bassitt a cancelar a sessão ordinária da próxima quinta-feira (21). O vereador Márcio Elias dos Santos (PSDB), conhecido como Marmitão, testou positivo para Covid-19. A notícia provocou apreensão geral porque o tucano participou da sessão do último dia 7 normalmente, onde teve contato com outros parlamentares. Ele começou a apresentar os sintomas no dia 10 e recebeu o resultado do exame na quarta-feira (13).

De casa
Desde então, os vereadores e servidores do Legislativo passaram para o sistema home office, com orientação expressa para que cumpram isolamento social durante 14 dias.

Faxinão
O presidente da Câmara, Adalmur Imada (MDB), ordenou ainda a desinfecção do prédio para evitar um possível novo contágio. "O Legislativo está oferecendo todo o suporte aos vereadores e servidores”, disse, Imada.

Segue o cronograma 1
Por 10 votos a 1, o STF manteve nesta quinta-feira (14) o prazo para filiação partidária e desincompatibilização para quem deseja se candidatar às eleições deste ano. 

Segue o cronograma 2
O pedido de suspensão dos prazos por 30 dias foi feito pelo PP. Na decisão o colegiado ressaltou a importância das eleições para o Estado de Direito. 

Segue o cronograma 3
Com isso, o tribunal segue negando reiterados pedidos para alterações no calendário eleitoral deste ano, tendo em vista a pandemia de coronavírus. Em Rio Preto, lideranças partidárias apostam, e torcem, para que as eleições sejam adiadas de outubro para dezembro.

Embargos...
O ex-prefeito de Rio Preto Valdomiro Lopes (PSB) entrou com pedido na Justiça na tentativa de evitar penhora de um lote no residencial Damha, onde mora com a família.

...de declaração
Valdomiro pede revisão da decisão da juíza da 2 Vara da Fazenda de Rio Preto, Tatiana Viana Pereira Santos, que determinou a penhora numa ação de improbidade administrativa.

Impenhorável
Os advogados de Valdomiro citam que o local no condomínio trata-se "de fração ideal que se constitui em área reservada ao centro de recreação para uso e gozo exclusivo dos proprietários dos lotes do loteamento".

Guarujá
Anteriormente, o ex-prefeito conseguiu evitar a penhora de um imóvel em Guarujá por se tratar de um bem com usofruto da ex-primeira-dama Eliana Lopes da Silva.

Sem fraude 1
No mesmo processo, o ex-vereador Emanuel Pedro Tauyr negou que tenha passado 25% de uma propriedade para seu filho para evitar a penhora. Segundo documentos juntados na ação, trata-se de um consultório em que o filho começou a atender.

Sem fraude 2
Tauyr alega que, outro imóvel não pode ser penhorado, porque é local que vive com a família desde 1981.






Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!