Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.



F1 e Mercedes criticam termo racista de Piquet para falar sobre Hamilton

Por: FOLHAPRESS -
28/06/2022 às 10:00
Esportes

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A Fórmula 1, a FIA e a Mercedes repreenderam o termo considerado racista que o ex-piloto Nelson Piquet usou para se referir a Lewi...


SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A Fórmula 1, a FIA e a Mercedes repreenderam o termo considerado racista que o ex-piloto Nelson Piquet usou para se referir a Lewis Hamilton ao comentar um acidente entre o britânico e Max Verstappen no Grande Prêmio de Silverstone, na temporada de 2021.

"Linguagem discriminatória ou racista é inaceitável de qualquer forma e não deve fazer parte da sociedade. Lewis é um embaixador incrível do nosso esporte e merece respeito", diz o comunicado da F1.

"Seus esforços incansáveis e e a inclusão são uma lição para muitos e algo com o que estamos comprometidos na F1", acrescenta.

A equipe alemã também declarou apoio ao heptacampeão mundial de F1 e exaltou a luta de Hamilton contra o racismo.

"Condenamos nos termos mais fortes qualquer uso de linguagem racista ou discriminatória de qualquer tipo. Lewis liderou os esforços do nosso esporte para combater o racismo e ele é um verdadeiro campeão da diversidade dentro e fora das pistas. Juntos, compartilhamos a visão de um automobilismo diversificado e inclusivo, e este episódio destaca a importância fundamental de continuar lutando por um futuro melhor", escreveu a Mercedes.

A Federação Internacional de Automobilismo, que representa os interesses sobe o automobilismo, também prestou solidariedade a Hamilton e condenou as falas de Piquet.

"A FIA condena veementemente qualquer linguagem e comportamento racista ou discriminatório, que não tem lugar no esporte ou na sociedade em geral. Expressamos nossa solidariedade com Lewis Hamilton e apoiamos totalmente seu compromisso com a igualdade, diversidade e inclusão no esporte a motor", disse a entidade.

O QUE DISSE NELSON PIQUET

Em vídeo de entrevista ao jornalista Ricardo Oliveira, em novembro de 2021, Piquet chama Hamilton de "neguinho" ao comparar os acidentes envolvendo Ayrton Senna e Alain Prost, em 1990, na largada do GP do Japão, e o que ocorreu 31 anos depois, no GP da Inglaterra. O trecho da entrevista foi publicado pelo canal Enerto, especializado em automobilismo, e repercutiu nas redes, com críticas ao tricampeão, que teve a fala apontada como racista (veja abaixo). O termo quando usado de maneira pejorativa ou com a intenção de ofender é considerado racista.

"O neguinho [Lewis Hamilton] meteu o carro e não deixou [desviar]. O Senna não fez isso. O Senna saiu reto. O neguinho meteu o carro e não deixou [Verstappen desviar]. O neguinho deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro [Verstappen] se fodeu. Fez uma puta sacanagem", afirmou o tricampeão mundial.

No ano passado, Hamilton e Verstappen travaram uma disputa ponto a ponto pela liderança do Mundial. Em Silverstone, Hamilton tocou o pneu no carro de Verstappen que rodou e bateu na barreira de proteção, provocando a interrupção da prova por mais de 40 minutos. A corrida foi reiniciada, e Hamilton recebeu 10 segundos de punição. Apesar disso, o britânico venceu a prova, com Charles Leclerc em segundo. O piloto da Red Bull, que conquistou o Mundial.

"Vamos focar em mudar a mentalidade", postou Hamilton no Twitter.

"É mais do que linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Fui cercado por essas atitudes e alvo de minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação", acrescentou o piloto inglês.

A família Piquet tem fortes ligações com Max Verstappen, piloto da Red Bull Racing, que é rival declarado de Lewis Hamilton. Kelly Piquet, filha de Nelson, é a namorada do holandês.

No ano final do ano passado, quando Verstappen superou Hamilton no GP de Abu Dhabi, e conquistou o título mundial, Nelsinho Piquet — outro filho de Nelson— usou as redes sociais para comemorar de forma veemente e apareceu com uma camisa com a inscrição: "Patrão é meuzovo" em referência ao modo como o piloto da Mercedes é chamados pelos seus fãs.

Piquet foi piloto da Fórmula 1 entre 1978 e 1991. Ele é tricampeão mundial da categoria 1981, 1983 e 1987 —os dois primeiros conquistados pela Brabham e o último com a Williams.

Durante a sua carreira passou por seis equipes: Ensign, McLaren, Brabham, Williams, Lotus e Benetton.

O brasileiro conseguiu vencer 23 corridas, garantiu 60 pódios e fez 24 pole positions.

Sua última corrida foi um GP da Austrália em 1991. Ele encerrou sua carreira na F1 em 6º lugar com 26,5 pontos.






Publicado em Tue, 28 Jun 2022 09:52:00 -0300







Anunciar no Portal DLNews

Seu contato é muito importante para nós! Assim que recebemos seus dados cadastrais entraremos em contato o mais rápido possível!